Quebra-se o espelho: um estudo do corpo da alteridade na tevê

postado em: Pesquisas | 0

Ano da pesquisa: 2002 – 2003.

Tendo como objeto o corpo e a televisão, esse projeto de pesquisa visa dar continuidade a um estudo que está sendo realizado no Curso de Comunicação Social, o qual visa analisar o padrão estético e erótico do corpo humano apresentado pela televisão. Os resultados dessa primeira pesquisa (que será finalizada em março de 2002) servirão de ponto de partida para o trabalho que ora está sendo proposto e que buscará avançar nos conhecimentos relativos a utilização do corpo pela mídia, tendo como foco o corpo da alteridade. O corpo da alteridade é o corpo da diferença, do diferente, aquele corpo que não traz impresso os traços adotados pelos padrões físico, estético, étnico, erótico, ético, mas que, ao mesmo tempo, faz parte do processo de classificação do idêntico, participando das teias de significação que determinam a identidade (TUCHERMAN, 1999, p. 107). A pesquisa tem por objetivo, pois, analisar os sentidos que envolvem o discurso do corpo da alteridade, a partir de suas inserções no texto televisivo e busca verificar em que medida esse discurso podem se constituir numa forma de exclusão do sujeito. Optou-se, inicialmente, por uma pesquisa descritiva e explicativa tendo como apoio principal a técnica de análise. A proposta de análise será desenvolvida com base em estudos da Semiótica (Hjelmslev e Barthes); os conhecimentos relativos à televisão serão adquiridos junto a estudiosos da imagem (tais como Arlindo Machado, Arnheim e Aumont); as especifidades do corpo da alteridade terão por base Foucault (História da Sexualidade), Freud (O estranho), Kristeva (O estrangeiro). Outros estudiosos da linguagem do corpo também contribuirão com o estudo que analisará 40 fragmentos de textos televisivos retirados de quatro emissoras e oito programas.