Cultura da tecnofilia e imaginários da tecnofobia: discurso sobre seres artificiais em filmes de ficção científica (2010)

postado em: Artigos | 0

Autoras: Nísia Martins do Rosário, Ana Cristina Basei, Camila Cabrera e Taís Seibt.

Este artigo se propõe a fazer um mapeamento dos discursos construídos no cinema de ficção científica acerca de seres artificiais. A abordagem de tal temática busca relações entre cultura, imaginário e corporalidades na composição e configuração de sentidos. Para tanto, recorremos à semiótica da cultura como recurso para refletir sobre uma cartografia de sentidos organizada a partir de processos discursivos culturais apresentados em filmes do período de 2008 a 2010. Foram quatro os eixos teóricos condutores deste artigo: a semiótica da cultura, as corporalidades, o cinema e os imaginários tecnológicos. Partimos da hipótese de que as obras cinematográficas de ficção científica operam, sobretudo, com um imaginário apocalíptico direcionado à tecnofobia em contradição a um cotidiano em que reina a tecnofilia.

Palavras-chave: cinema; discursos; seres artificiais; imaginário tecnológico; corporalidades audiovisuais.

Artigo apresentado no XXXIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom), Caxias do Sul, RS – 2 a 6 de setembro de 2010.

Cultura da tecnofilia e imaginários da tecnofobia: discurso sobre seres artificiais em filmes de ficção científica. Disponível em: http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2010/resumos/R5-2724-1.pdf