O paradoxo publicitário na televisão brasileira: atualizando dissidência de gênero num mundo uniforme

postado em: Artigos | 0

Autores: Nísia Martins do Rosário, Adriana Pierre Coca.

Publicado em Eikon : Journal on Semiotics and Culture. Covilhã, Portugal : Universidade da Beira Interior. N. 3 (2018), documento eletrônico.

O texto problematiza um modelo de corpo como elemento fundante da publicidade televisual na relação com a alteridade, tendo como perspectiva teórica a semiótica da cultura. Busca-se problematizar as hegemonias midiáticas que se constituem pelos sistemas modelizantes operadores da publicidade. O tensionamento dos códigos da publicidade pela via do corpo é parte relevante do artigo, considerando os modos de articulação das linguagens – do corpo e da publicidade – para a constituição de uma diversidade de gênero organizadora de uma tendência dos textos publicitários de televisão. Para tanto, elegemos como objeto de análise quatro peças publicitárias relativas a campanha do Dia dos Namorados de 2015 e 2017 que consideramos que provocam rupturas de sentidos na publicidade televisual hegemônica e distanciam-se do centro da semiosfera. As irregularidades apresentadas nessas peças referem-se principalmente a relações homossexuais.

Palavras-chave: Semiótica da cultura; publicidade televisual; gênero; corpo.

O paradoxo publicitário na televisão brasileira : atualizando dissidência de gênero num mundo uniforme (ufrgs.br)

https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/187245/001082432.pdf?sequence=1&isAllowed=y